SISTEMA PIVOTAL OU TRIPOD ?

É incrível a capacidade que o BMX tem de se reinventar, há 20 anos as bicicletas eram praticamente o oposto do que são hoje. As coisas complicadas foram redesenhadas e feitas para serem mais leves, mais fortes, mais fáceis de instalar e manter.  O banco por exemplo, sofreu algumas mudanças que revolucionaram a maneira até de montar a bike. Canótes mais abraçadeiras com regulagens de recartilhos e trilhos, já não eram mais vistos nas BMX há um tempo.

Bastante coisa mudou neste período, e uma dessas mudanças foi o sistema PIVOTAL, considerado a mais radical no que se diz respeito a sistema de regulagem de bancos e canótes. No começo deixou bastante gente confusa, um banco com furo no meio, parafuso vertical, estrutura toda de plástico, e uma diferença de peso no conjunto bastante considerável.

 Algo muito diferente do que existia no mercado, um sistema tão simples e prático que me lembro de pensar que não haveria mais nada o que fazer para melhorar esta parceria entre canóte e banco, mas melhorou.

Com o tempo, tudo o que chamamos de inovação, obviamente entra no mercado e é usado até o limite, desta forma alguns problemas e defeitos são encontrados, abrindo a possibilidade para novas invenções.  

Nas lojas, hoje encontramos conjuntos com um novo sistema que vem crescendo bastante na preferência dos bmxers.

O sistema TRIPOD, inventado pelo design David da marca FlyBikes, e adotado pela maioria das marcas nos dias de hoje. Algo que mais uma vez mudaria a forma montar a sua bike, mas não era só isso.

Adotando o mesmo conceito minimalista do Pivotal, o Tripod trouxe mudanças mais uma vez convincentes o suficiente para fazer você mudar a sua bike.

O sistema TRIPOD consiste em três pontos de apoios do canóte no banco, por isso o nome “TRIPOD”.  Vem com um parafuso ainda menor que o pivotal, que fixa o “canóte no banco” e não mais o “banco no canóte”, como é o sistema pivotal.

Mais quais são as vantagens nisso?

Não existe mais um parafuso no meio do banco, apesar de ser vazado, este parafuso era muito grande e pesado, no Tripod, apenas um pequeno parafuso e um mini calso é responsável pelo aperto e regulagem do sistema, que é colocado do canóte para o banco.

O banco não precisa mais de um furo no meio como no pivotal, usado para enfiar a chave Allen para apertar o sistema. Este furo com o tempo descosturava ou até rasgava, reduzindo a vida útil do banco.

O sistema Pivotal exigia que a estrutura de plástico interna do banco fosse ainda maior e focada somente na resistência do sistema de aperto, e não do banco como um todo. Era comum você ver bancos Pivotal com o Bico (frente) quebrado para baixo.

Já no sistema Tripod, toda a estrutura foi redesenhada e focada na resistência do banco como um todo.

O peso reduziu mais uma vês, exemplo do mesmo modelo de banco abaixo com sistemas diferentes.

Cult AK Médio Pivotal 312gr  |   Cult AK Médio Tripod 289gr

Parece pouco, mas se julgarmos que você em um banco recebem três benefícios ótimos relacionados a resistência, durabilidade e ainda reduzindo peso, realmente dá para ficar muito feliz.

Mas o sistema Tripod não é só alegria, conforme os anos o conjunto banco e canóte foi perdendo margem de regulagem a cada sistema inventado. Com o Tripod isso também aconteceu, apenas duas posições são permitidas no sistema. Já no pivotal a margem de posições é bem maior, talvez não muito relevante, mas ainda tem muita gente que não abre mão deste beneficio, por isso o sistema Pivotal ainda é muito popular.

Tambem existira outras invenções que traziam benefícios e problemas para fixação  regulagem de banco e canóte. Nesta materia falamos das que realmente dominaram o mercado. 

Se você curtiu esta materia COMPARTILHE

Aproveite para seguir o nosso site nas redes sociais.

Instagra: @bmx20oficial

FanPage: facebook.com/bmx20oficial


Calendário de Eventos